• HOME Notícias
  • Exportações do campo mantiveram ritmo forte em maio

    IMPRIMIR

    14.6.2017

    Por Fernando Lopes | De São Paulo

    As exportações brasileiras do agronegócio renderam US$ 9,7 bilhões em maio, 12,8% mais que no mesmo mês do ano passado, conforme dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex/Mdic) compilados pelo Ministério da Agricultura. As importações do setor aumentaram 30%, para US$ 1,3 bilhão, e, com isso, o superávit dessa balança registrou alta de 10,5%, para US$ 8,4 bilhões.

    Os embarques voltaram a ser puxados pelo chamado "complexo soja" (inclui grão, farelo e óleo). As vendas da matéria-prima e seus derivados ao exterior renderam US$ 4,7 bilhões, resultado 7,5% superior ao do mesmo mês de 2016. Segundo o ministério, apenas as exportações do grão alcançaram praticamente 11 milhões de toneladas - um novo recorde mensal histórico -, ou US$ 4,1 bilhões, com um aumento de 2,1% do preço médio.

    Já os embarques de carnes recuaram 4,1% em maio, para US$ 1,2 bilhão. "Com exceção de carnes, miudezas e preparações, cujas exportações aumentaram 15,9% (acréscimo de US$ 4,05 milhões), todos os demais itens do setor assinalaram quedas nas vendas. As exportações de carne de peru caíram 49,1%, as de carne bovina recuaram 5,1% e as de carne de frango caíram 2,5%", diz nota divulgada pelo ministério.

    Sempre segundo o ministério, as exportações de açúcar e etanol chegaram a US$ 1,1 bilhão em maio, 49,2% mais que no mesmo mês de 2016, ao passo que os embarques de produtos florestais subiram 24,4% na comparação, para US$ 972,7 milhões, e os de café cresceram 22,4%, para US$ 442,5 milhões.

    Nos primeiros cinco meses deste ano, as vendas externas do agronegócio brasileiro também apresentaram resultado positivo: cresceram 5,9% em relação a igual intervalo de 2016, para US$ 38,9 bilhões. As importações cresceram 22,8%, para US$ 6,1 bilhões, e o superávit cresceu 3,3% para US$ 32,7 bilhões.

    De janeiro a maio, os embarques brasileiros do "complexo soja" cresceram 18%, para US$ 16 bilhões, os de carne aumentaram 5,4%, para US$ 6 bilhões e os de açúcar e etanol registraram alta de 31,7%, para US$ 4,5 bilhões. No período, a China foi o destino de 33,3% das exportações do agronegócio brasileiro.

    Fonte Internet: Valor Econômico, 14/06/17